sexta-feira, 12 de junho de 2015

PREFEITURA E CÂMARA DOS VEREADORES TENTAM DESVIAR O FOCO DIANTE DA IMORALIDADE APROVADA NA ÚLTIMA TERÇA-FEIRA (10).

A GREVE CONTINUA!

Ontem (10), os vereadores se trancaram no plenarinho da Câmara Municipal, montaram um grande esquema de repressão, com policiais fortemente armados para reprimir os trabalhadores e aprovaram, às escondidas, um projeto lei de reajuste inconstitucional, enviado pelo Prefeito Firmino Filho (PSDB).

Agora, diante dessa imoralidade aprovada e da forma como aconteceu a votação, os vereadores estão tentando desviar o foco, acusando os servidores em greve de vandalismo e depredação do patrimônio público.

O SINDSERM, sindicato que representa a categoria, repudia essa tentativa de manipulação da opinião pública e desmoralização dos trabalhadores, que há mais de 40 dias estão em greve, lutando em defesa de seus direitos. São servidores que recebem, no vencimento básico, um salário 43 vezes menor que o salário do Prefeito e de parte dos seus secretários.
A ocupação foi pacífica e a câmara permaneceu como estava antes da ocupação

Em nossa opinião, vandalismo é o que o Prefeito Firmino Filho está fazendo com os servidores, oferecendo um reajuste imoral de 1% e 6%, que passa longe de cobrir a inflação do período. Vandalismo é os vereadores votarem, a portas fechadas, um projeto inconstitucional, que fere os princípios democráticos.

Vandalismo é um professor da rede municipal trabalhar em escolas caindo aos pedaços, com esgoto a céu aberto do lado, paredes de tapume e sem materiais básicos. Vandalismo é servidor trabalhando em condições insalubres, sem direito sequer a uma gratificação. Vandalismo é um servidor trabalhar 40 horas por semana, pra ganhar apenas R$ 652 no vencimento básico. Vandalismo é o que essa gestão vem fazendo com os serviços públicos, fechando creches, esquecendo escolas e injetando cada vez mais dinheiro na iniciativa privada. Isso sim é vandalismo!


VEREADORES APROVAM REAJUSTE INCONSTITUCIONAL PROPOSTO PELO PREFEITO FIRMINO FILHO (PSDB)

Foto Portal o Dia
Uma vergonha. Um grande absurdo, que passou pelo crivo da maioria dos vereadores da câmara municipal. Dos 29 vereadores, 20 votaram favoráveis ao reajuste inconstitucional do Prefeito Firmino Filho, 7 foram omissos à votação e se abstiveram. A apenas dois votaram contrários ao projeto. Mais uma prova viva, que os interesses políticos dos partidos da grande burguesia são mais importantes naquela casa, que as necessidades do povo.

O projeto foi apresentando ao legislativo sem nenhum estudo de impacto financeiro. Um projeto seco, sem nenhum cálculo que justificasse, de fato, a impossibilidade da prefeitura em não pagar o reajuste justo, reivindicado pela categoria. O mais grave, um projeto enfiado goela abaixo, sem nenhuma debate com a categoria, que desde janeiro tenta negociar com a prefeitura e sempre se depara com as portas fechadas.


24 HORAS DE OCUPAÇÃO DA CÂMARA

Os servidores municipais deram uma aula de resistência e luta por direitos. Foram mais de 24 horas acampados no plenário da câmara municipal e o recado era claro: reajuste de 1% não dava para aceitar. A votação inicial, marcada para terça-feira, foi cancelada. Na terça, a votação aconteceu na surdina, à portas fechadas e com um forte aparato policial.

Saímos, mas com a certeza que a luta permanece. A greve continua. Sabemos que só a luta e mobilização da nossa classe são capazes de derrotar esse projeto de desmonte do serviço público e de desvalorização dos servidores! A luta continua!








terça-feira, 2 de junho de 2015

É HORA DE BARRA ESSE PROJETO INCONSTITUCIONAL DO FIRMINO

O Projeto de Lei do Reajuste dos servidores públicos municipais foi encaminhado para a câmara dos vereadores! Hoje é dia de barrar esse projeto! O projeto, além de não abranger de fato um reajuste necessário para recompor as perdas salariais dos servidores (55,7%), carrega também diversas inconstitucionalidades. Vejamos:

1 - A primeira inconstitucionalidade é a destinação de índices diferenciados de reajuste, com destinação de 1% para algumas categorias e 6% para outras, ou seja, indo de encontro à legislação que proíbe a atribuição de índice diferenciado para os servidores, ainda que estejam em diferentes grupos funcionais.
2 - A segunda diz respeito ao fato de que o reajuste deve ser conferido sempre na mesma data. Contudo, conforme o projeto, o reajuste deve se dá em maio, quando a data base é em março.
3 - Além disso, o reajuste também iguala o vencimento base dos servidores administrativos de 40h e 30h, sem nenhuma destinção.
4 - E a maior mentira desse projeto é com relação ao percentual do reajuste, divulgado ao quatro ventos que seria de ATÉ 25%. Entretanto, em momento algum o projeto fala nesse percentual de reajuste e se limita a um reajuste ínfimo de 1% para todos os servidores e 6% para os trabalhadores de nível básico.










quinta-feira, 28 de maio de 2015

SINDSERM FAZ MANIFESTAÇÃO DURANTE CONFERÊNCIA DE SAÚDE! NEGOCIA FIRMINO!

Hoje, durante a Conferência de Saúde Alimentar, os servidores municipais em greve há 28 dias , foram dá um novo recado aos gestores municipais presentes: A GREVE CONTINUA E SE O FIRMINO NÃO NEGOCIAR, TERESINA VAI PARAR! ‪#‎TodosJuntosSomosFortes‬







SE FIRMINO NÃO NEGOCIAR, TERESINA VAI PARAR! TODOS/AS À ASSEMBLEIA GERAL!

O Prefeito Firmino Filho (PSDB) e seus secretários, em demostração de total desrespeito com os trabalhadores do serviço público municipal de Teresina, não compareceu à reunião de negociação, marcada pelo Secretário Paulo Dantas, que deveria ter acontecido ontem a tarde. 

Essa é uma prática comum dos gestores do PSDB, que fecham as portas para os trabalhadores em todo o país, mas deixam portas e janelas escancaradas para os empresários financiadores de suas campanhas. Ontem, as portas da Prefeitura se encontravam fechadas, assim como fechada está a capacidade de diálogo dessa gestão. Fechada também está a capacidade de respeito para com os/as servidores/as. O que dizer de uma gestão que não honra sua palavra e não negocia com os servidores/as? Temos muito a dizer. A greve continua. A greve é geral.


Amanhã, os servidores municipais em greve vão se reunir em Assembleia Geral e debater os próximos passos do movimento. Em seguida, os servidores se somam aos demais sindicatos e centrais sindicais para o Dia Nacional de Paralisações e Manifestações contra as medidas econômicas e os cortes de direitos do governo federal!

quarta-feira, 27 de maio de 2015

SERVIDORES OCUPARAM A PREFEITURA E FORÇARAM NEGOCIAÇÃO

As últimas quatro semanas foram de muitas mobilizações nos locais de trabalho, atos públicos e assembleias na frente da Prefeitura. A força do movimento já foi provada logo na primeira semana de greve, quando serviços importantes como Hospital de Urgência de Teresina, Centro Integrado Lineu Araújo, Vigilância Sanitária, setor de fiscalização da Strans e Laboratório Raul Bacelar aderiram ao movimento. Além disso, professores, trabalhadores da assistência social, servidores administrativos, técnicos de enfermagem e enfermeiros das Unidades Básicas de Saúde, CAP's e Hospitais também paralisaram as atividades.

A grande adesão ao movimento de greve é um reflexo do descontentamento dos servidores com a atual gestão municipal, que tem a frente o Prefeito Firmino Filho (PSDB). O descaso com o serviço público e o desrespeito com os trabalhadores estão se tornando marca dessa gestão. Desde janeiro tentando abrir um canal de diálogo com a prefeitura, para debater a pauta de reivindicações da categoria, mas até agora não houve nenhum avanço nas negociações. 

Depois de várias tentativas de negociação, todas negadas pelo Prefeito e seus secretários, os servidores resolveram ocupar o Palácio da Cidade, na última quarta-feira (21/05). A força do movimento obrigou o secretário de administração, Paulo Dantas, a receber uma comissão de servidores para uma reunião, onde foi acordado que a prefeitura iria apresentar uma proposta de reajuste e uma resposta à pauta de reivindicações dos trabalhadores hoje, dia 27/05, às 16 horas. 


Esse é o momento de fortalecer ainda mais a greve. Hoje, antes da reunião de negociação com a prefeitura, vamos nos reunir em Assembleia Geral para debater as pautas da negociação. A assembleia geral está marcada para hoje (27/05), às 15 horas, em frente à Prefeitura.  #TodosJuntosSomosFortes

Mobilização nas Unidades Básicas de Saúde!

Servidores do HUT em greve

Assembleia Geral em frente à Prefeitura

Ato Público durante Conferencia de Educação

Ato Público na GEVISA

Mobilização no HUT

Assembleia Geral, dia 21 de Maio.

Ato Público dos fiscais de trânsito

Ato Público durante inauguração de CRAS de Angelim, que será aberto em condições precárias!

Ocupação da Prefeitura que forçou a abertura de um canal de negociação.

Ato Público na frente da Secretaria de Educação


sexta-feira, 8 de maio de 2015

Servidores(as) do Raul Bacellar aderem à Greve Geral!

Ontem, 07, os(as) servidores(as) do Centro de Diagnóstico por Exames Dr. Raul Bacellar disseram um basta ao descaso fomentado pela administração municipal e decidiram aderir á greve geral dos(as) servidores(as) municipais de Teresina. Além da defasagem salarial de 55% que atinge todos os(as) servidores(as) municipais, os trabalhadores do laboratório está exigem a regularização imediata da produtividade e melhores condições de trabalho. NEGOCIA FIRMINO!

A situação é caótica no Laboratório, que atualmente é responsável pela realização de milhares exames por dia. Com uma infraestrutura precária falta até material para realização dos exames. Os servidores do Centro sofrem com a constante ameaça de corte da produção, não foi regularizada pela PMT, e que em anos anteriores foi suspensa, só retornando após movimento paredista. Além disso os técnicos administrativos que trabalham no laboratório não recebem o adicional de insalubridade.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Trabalhadores do SUAS conforma pauta de revindicações e refirmam adesão à Greve Geral


E A GREVE SÓ CRESCE | Hoje pela manhã, assistentes sociais e psicólogxs trabalhadorxs do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), estiveram reunidos para conformar Pauta de Reivindicações e reafirmar a adesão da categoria à GREVE GERAL! ‪#‎TodosJuntosSomosFortes‬

A GREVE GERAL SE FORTALECE A CADA DIA! NEGOCIA FIRMINO!

Ato Público no Lineu Araújo - Dia 06 de maio
A greve dos Servidores Públicos Municipais de Teresina continua forte. Ontem, a mobilização foi na Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) com os agentes de trânsito (que fazem as fiscalizações rotineiras na cidade) e fiscais de transporte (que fiscalizam o transporte público, escolar, entre outros).Os dois setores paralisaram as atividades e somaram força ao movimento de greve, que já entra no sexta dia.

Hoje o dia de mobilização foi intenso e novos setores do funcionalismo público municipal aderiram à GREVE GERAL. Foram realizados atos no Centro Integrado de Saúde Lineu Araujo, no Hospital de Urgência de Teresina e também na Strans.

Trabalhadores das Unidades Básicas de Saúde, da Gerência de Vigilância Sanitária, GESVISAT, CAPs, SUAS, NASF, CREAs e CRAS também aderiram ao movimento, além dos servidores do Núcleo de Transporte e da educação, que também começam a somar forças. 

Fiscais de trânsito param terminal rural

Mobilização do HUT


Ato Público na Strans

Ato Público na Strans

Ato Público na Strans

Reunião com servidores da GEVISA

Ato Público no Hospital de Urgência de Teresina

Reunião no Lineu Araujo


segunda-feira, 4 de maio de 2015

SERVIDORES MUNICIPAIS PARALISAM AS ATIVIDADES NO PRIMEIRO DIA ÚTIL DO MÊS



Desde o último dia 30 de abril os servidores públicos municipais de Teresina estão em greve. Hoje pela manhã uma manifestação em frente ao Hospital de Urgência de Teresina paralisou parcialmente as atividades administrativas do hospital. O SAME , serviço de atendimento responsável pela marcação de consultas aderiu a grave e apenas os 30% obrigatórios por lei estão funcionando. Dos mais de 50 atendimentos diários, apenas 20 estão sendo realizados. 

A Greve Geral foi deflagrada pela representatividade de uma maioria de servidores administrativos, que recebem um vencimento básico de R$ 652,00, valor muito inferior ao salário mínimo. Somando com as gratificações e acréscimos de produtividade o salário final não passa de R$ 850, por 40h de trabalho. Além disso, esses servidores não recebem adicional de insalubridade, mesmo trabalhando em um ambiente sem as mínimas condições de trabalho. 

São os servidores administrativos da saúde, educação, Strans e outros órgãos de fiscalização do estado, que já somam 8 mil em toda a capital. 

Para Letícia Campos, presidente do Sindicato essa greve é reflexo da indignação dos servidores com a atual administração da prefeitura de Teresina. A falta de valorização e o assédio moral são as principais reclamações!

"Em uma conjuntura de crise econômica, arrocho salarial e retirada de direitos, o caminho que resta para os trabalhadores é a luta e a mobilização. Queremos e vamos lutar por um reajuste de 55,7%, pelo pagamento das mudanças de nível e o fim do assédio moral, pagamento da insalubridade, entre outros pontos da pauta de reivindicação", afirma.

Amanhã, a concentração será em frente a Strans, às 7h30, onde os fiscais de transporte estão com as atividades paralisadas.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

SERVIDORES APROVAM NOVA PARALISAÇÃO PARA O DIA 30 DE ABRIL

Em assembleia geral, os servidores públicos municipais de Teresina aprovaram nova paralisação, no dia 30 de abril, em alusão ao dia do trabalhador! Nesse dia será realizado um grande unitário, com outros sindicatos e centrais sindicais, contras os ataques aos direitos dos trabalhadores, como o PL 4330 das terceirizações e as Medidas Provisórias 664 e 665, que atacam diretamente o direito ao seguro desemprego, aposentadoria e PIS. 

Com uma forte presença dos fiscais da Strans, que estão com suas atividades paralisadas desde ontem, foi aprovado ainda uma manifestação em frente ao prédio da Strans, na próxima segunda-feira (27/04) contra a obrigatoriedade do ponto eletrônico para os profissionais de serviço externo, o assédio moral, as péssimas condições de trabalho e a falta de valorização profissional. 

Por outro lado, a prefeitura segue sem negociar e ainda não apresentou nenhum índice para a revisão salarial anual. Duas reuniões já foram realizadas e nada de concreto foi apresentado pelo executivo municipal, que segue com sua política de arrocho salarial e precarização dos serviços dos públicos.
Só a organização dos trabalhadores, exercendo pressão política sobre o Prefeito Firmino Filho, é capaz de arrancar um reajuste salarial necessário que, segundo levantamento dos ILAESE, é de 55%.

CONGRESSO DA CSP CONLUTAS

Na assembleia do dia 30 de abril também serão eleitos os delegados do SINDSERM para o 2º Congresso Nacional da CSP-Conlutas, que acontece no inicio do junho, em São Paulo. Os Delegados eleitos serão os representantes da categoria no congresso. Qualquer servidor pode se candidatar!